Itapeva – Área de trigo cresce significantemente

Com 20 mil hectares plantados, município passou a ser o principal produtor do grão no Estado de São Paulo

Depois de conquistar o título de principal produtor de soja do Estado de São Paulo, Itapeva agora é líder na produção de trigo. Nesta safra de inverno, foram cultivados 20 mil hectares com o grão, ante os 12 mil hectares da safra anterior, em 2016. Os dados são da Coordenadoria Técnica Integral (Cati) de Itapeva, que vê a possibilidade de os agricultores lucrarem com o plantio dessa cultivar, já que a produtividade está alta. Algumas lavouras de sequeiro chegaram a produzir 200 sacas por alqueire em 2016.

Com essa produtividade – conquistada com o investimento em variedades de sementes mais produtivas –, e se forem mantidos os bons preços praticados na safra passada, o trigo passa enfim a garantir alguma remuneração ao produtor. Nas safras anteriores, só se contava com o benefício da rotação de cultura e da estabilidade de nutrientes no solo. No início de julho, a saca de 60 quilos estava cotada a R$ 43,96. Na safra passada, os preços variaram entre R$ 35,00 e R$ 38,00 por saca, na colheita.

Com isso, o produtor que investe, em média, R$ 4.500,00 por alqueire na produção de trigo, pode lucrar cerca de R$ 5.250,00 por alqueire, garantindo assim remuneração. “Os produtores estão trabalhando com duas variedades de trigo mais produtivas. Além disso, o preço também deverá ser um pouco mais atrativo do que em safras passadas”, explica Vandir.

Clima

O clima tem ajudado os agricultores. Apesar das fortes chuvas ocorridas entre maio e junho, as lavouras se recuperaram. O frio intenso do início deste mês também é propício ao desenvolvimento da oleaginosa e a geada, prevista para o dia 20 de julho, já foi descartada. “Até agora tudo segue de forma bastante positiva para o trigo”, diz Vandir. Ele explica que a torcida é para que não haja geadas na fase de reprodução do trigo. A colheita deve acontecer em meados de agosto e setembro, já que a partir de 15 de setembro os produtores iniciam o plantio de soja.

Milho

Apesar do aumento da área produzida com trigo, os produtores itapevenses produziram 30 mil hectares com milho safrinha nesta safra de inverno. As perspectivas de preço, no entanto, não estão muito boas. Com os preços de R$ 21,00 a R$ 22,00 por saca de 60 quilos, ficará difícil arcar com os custos de produção, que são duas vezes mais altos do que os custos de produção do trigo.

Além disso, as chuvas em excesso ocasionaram doenças nas plantas, o que deve prejudicar a produtividade. Segundo Vandir, o custo dessa lavoura está alto, porque os produtores tiveram de fazer aplicações de fungicidas foliares para deter as doenças.





Gráfica Editora e Jornal Via Mão - Redação: Rua Komiko Kakuta, 38 - São Judas Tadeu - Capão Bonito - SP
CNPJ: 05.771.658/0001-10 - Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas, sob n.º 12 no Livro "B" Matriculado e Microfilmado sob n.o 1.256.
Email: redacao@jornalviamao.com.br - jornalviamao@jornalviamao.com.br