Câmara aprova convênio com o Instituto Butatan para fornecimento de plasma convalescente

Notícia publicada em 4 de junho de 2021

Capão Bonito é a primeira cidade da região sudoeste a fazer o convênio através de articulação da Secretaria Municipal de Saúde

A Câmara de Capão Bonito aprovou por unanimidade e o prefeito Julio Fernando (PODEMOS) já promulgou no último final de semana a Lei Municipal nº. 4.832, de 26 de maio de 2021, que autoriza o Executivo Municipal a celebrar convênio com a Fundação Butantan, objetivando o fornecimento de Plasma Convalescente para Santa Casa.

Capão Bonito é a primeira cidade da região sudoeste a fazer o convênio através de articulação concretizada depois de visita no dia 06 de maio do vice-prefeito e secretário de Saúde – Roberto Tamura acompanhado de integrantes da equipe técnica da secretaria e Santa Casa ao Instituto em São Paulo.O tratamento é direcionado a pacientes que se enquadrarem nos quesitos necessários.

De acordo com o secretário Roberto Tamura, com a formalização do convênio a Secretária Municipal de Saúde e a Santa Casa realizarão os trâmites necessários para a implantação imediata desse tratamento no município.

“É uma grande honra fazer parte desta pesquisa tão importante para o combate a COVID-19”, afirmou o secretário Tamura.

O convênio permitirá que Capão Bonito seja inserido no contexto do estabelecimento de uma rede para a coleta e distribuição do plasma convalescente organizada pelo Instituto Butantan.Há diversos estudos sobre o tratamento de Covid-19 com plasma hiperimune, alguns deles realizados no Brasil.

Segundo o presidente do Butantan – dr. Dimas Covas, a partir dessa base de conhecimento é possível concluir que o plasma não funciona tardiamente, ou seja, deve ser usado precocemente (após no máximo 72 horas do surgimento dos sintomas) e em volumes importantes.

“Essas características estão sendo observadas no protocolo que foi validado pela Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e que está se tornando uma rotina em muitos hospitais”, completou o presidente do Butantan.

A utilização de plasma convalescente no tratamento de pacientes de Covid-19 é comum na Argentina, por exemplo.Além disso, o Butantan chegou a enviar a Manaus plasma convalescente para ajudar no tratamento de vítimas do novo coronavírus no auge da crise sanitária do Amazonas.

O que é o tratamento com plasma convalescente?

O plasma é a parte líquida do sangue, e é nele que estão contidos os anticorpos. O objetivo de um tratamento utilizando plasma convalescente é transferir ao paciente, de maneira passiva, um quantitativo de anticorpos suficiente para combater o vírus.

Dimas Covas compara o tratamento a uma vacina imediata: ele transfere anticorpos contra o novo coronavírus ao mesmo tempo em que o organismo do paciente responde pela sua imunidade normal.

O plasma convalescente é obtido por meio de doação voluntária de plasma por aferese ou de plasma por meio de doação de sangue total de pessoas que já foram contaminadas pelo novo coronavírus e que, portanto, já possuem anticorpos. Para doar, é fundamental que a pessoa tenha sido contaminada pela Covid-19 pelo menos 30 dias antes do ato da doação. É preciso estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, evitar alimentação gordurosa antes da doação e apresentar documento original com foto.

Apenas homens podem se voluntariar para doar o plasma convalescente. Isso porque, durante a gestação, a mulher libera anticorpos na corrente sanguínea que podem causar, no paciente que recebe o plasma, uma lesão pulmonar grave associada à transfusão chamada TRALI (transfusion-related acute lung injury).





Gráfica Editora e Jornal Via Mão - Redação: Rua Komiko Kakuta, 38 - São Judas Tadeu - Capão Bonito - SP
CNPJ: 05.771.658/0001-10 - Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas, sob n.º 12 no Livro "B" Matriculado e Microfilmado sob n.o 1.256.
Email: redacao@jornalviamao.com.br - jornalviamao@jornalviamao.com.br